+

07/12/2017

Emplacamentos de ônibus registram alta de 6,12% entre janeiro e novembro, diz Fenabrave


Emplacamentos de ônibus registram alta de 6,12% entre janeiro e novembro, diz Fenabrave

Depois de amargar quase quatro anos de resultados negativos, o mercado de veículos pesados, começa a reagir e a retomada se consolida, apesar de os fabricantes e compradores ainda terem cautela. De acordo com balanço divulgado no dia 01º de dezembro de 2017, pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, os emplacamentos de ônibus e caminhões entre janeiro e novembro deste acumulam alta de 1,41% na comparação com semelhante período do ano passado. Por segmentos separados, o emplacamento de caminhões, de diversos portes, está praticamente estável, com pequena variação positiva de 0,10% Neste ano, até ontem, foram emplacados 45.894 caminhões ante 45.846 dos 11 meses completos do ano passado. Já em relação aos ônibus, os percentuais são melhores.  A alta no acumulado do ano é de 6,12%, com 13.496 unidades emplacadas. No mesmo período de 2016, foram 12.718. Na comparação entre outubro e novembro, houve crescimento de 23,59% nas vendas de ônibus, com 1.446 unidades, se for tomado como base o mês de novembro do ano passado e este de 2017, o mercado de ônibus cresceu 80,07%. Em novembro de 2016, foram emplacados 803 veículos de transporte coletivo. As vendas de ônibus e caminhões são também indicadores do desempenho de outros setores da economia. Habitualmente, o desempenho do mercado de veículos pesados depende de como vão as demais atividades industriais, do setor de serviços, comércio, agronegócio e turismo que, se estiverem em situação favorável, necessitam de ônibus e caminhões e maior quantidade e mais novos para o transporte de trabalhadores, turistas e cargas. Em nota, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, se referindo a todo o setor automotivo, incluindo os pesados, disse que resultados obtidos em novembro confirmam as expectativas de retomada do crescimento em 2017, mantendo as projeções positivas da entidade. “A alta nos índices de confiança e a contínua queda na inadimplência, que registrou o menor índice desde 2011, fez com que o comprador voltasse às concessionárias. O aumento da oferta de crédito também tem impulsionado o crescimento do mercado neste momento e incentivado o cliente a efetivar sua compra”, declarou Assumpção Júnior.   Fonte: Diário do Transporte   Imagem: Bigstock by Taina Sohlman