+

12/11/2015

Na maior feira de ônibus do mundo Busworld 2015, veículos para todas as aplicações


Na maior feira de ônibus do mundo Busworld 2015, veículos para todas as aplicações

Elétrico, híbrido, a gás natural, diesel ou etanol. Piso baixo, Low Entry ou piso convencional, com degraus. De cinco a 28 metros de comprimento. Convencional, articulado, biarticulado, midi e minibus. Rodoviário, urbano ou “all-rounder”, não importa. O que importa é atender as necessidades e desejos dos passageiros para atrai-los para o ônibus e ter preço e serviço para garantir o retorno sobre o investimento dos operadores.

É isso que as grandes montadoras e fabricantes de ônibus mostraram na 23ª edição da Busworld Kortrijk, realizada na cidade belga de mesmo nome até o dia 21 de outubro. Ninguém mais diz que o modelo elétrico é o futuro. O futuro é a pluralidade de combustíveis, do diesel convencional ao elétrico, passando pelo biogás e híbrido, entre outros. O objetivo é alcançar zero emissões, mas isto vai depender das legislações em cada diferente mercado, da exigência cada vez maior do usuário e também da capacidade de investimento dos operadores.

Foram 411 expositores, sendo 67 diferentes fabricantes de ônibus, de 36 países, espalhados por 10 pavilhões que totalizam 13 mil m2 de área construída. A meta dos organizadores foi superar os 33 mil visitantes e, para isso, os fabricantes de ônibus colocaram à disposição dos participantes 76 veículos para teste no espaço externo do Kortrijk Expo.

Para convencer os clientes, os principais fabricantes, da Alemanha à Suécia e da China à Turquia, todos procuraram oferecer muito mais do que apenas o ônibus. Pelo menos na Europa, somente o veículo não atende mais a necessidade das cidades e de seus operadores.

Além do produto, o fabricante está fornecendo o que quase todos chamam de uma solução completa. Esta solução completa inclui suporte quase total, como instituições que facilitam o financiamento para a aquisição, monitoramento e manutenção da frota do cliente, imediata reposição de peças a até auxílio para revender o ônibus usado.

Outra característica cada vez mais forte no mercado, bem diferente do Brasil, é que não existe mais a diferenciação entre fabricante de chassi e fabricante de carrocerias (encarroçador). Quase todos são definidos agora como fabricantes de ônibus. As tradicionais montadoras, como Iveco, MAN, Mercedes-Benz, Scania e Volvo produzem seus veículos completos. Já as grandes encarroçadoras fecharam parcerias com fornecedores de powertrain, como ZF, DAF, Cummins, Allison, para comercializar o ônibus completo e são responsáveis pelo pós-venda de todo o veículo. Existem ainda as tradicionais encarroçadoras, de médio e pequeno portes, mas são poucas e estão perdendo espaço para as mais fortes.

Outra grande novidade é que, para atrair mais usuários (principalmente proprietários de automóveis) os ônibus urbanos estão com configurações internas muito próximas às dos rodoviários e não como no Brasil, com um interior espartano para não dizer totalmente desconfortável e nada convidativo. Os urbanos da Europa parecem automóveis de alto luxo, tanto por dentro quanto por fora, inclusive com poltronas que giram.

Fonte: Tribuna do Norte

 

Imagem: Bigstock by pbig